Buscar por:  

Assine o RSS Notícias

Voltar 09/02/2020 - Valor Econômico em Portos e Navios

E&P

Equinor vai perfurar cinco poços no Brasil até 2022

A Equinor pretende perfurar cinco poços de exploração no Brasil entre 2020 e 2022, em busca de descobertas de óleo e gás de alto impacto, e avançar com uma série de novos projetos ao longo da década. Até 2026, a expectativa é iniciar a produção de dois novos projetos de produção de óleo e gás e dar início ao projeto de revitalização do campo de Roncador, na Bacia de Campos.

O projeto conjunto entre Petrobras e Equinor para aumentar a recuperação de petróleo de Roncador deve começar entre 2023 e 2024, informou a petroleira norueguesa a investidores nesta quinta-feira (06/02). Roncador é um dos cinco maiores campos produtores de óleo do país, mas está em fase de declínio.

Em 2018, a Equinor adquiriu 25% de participação no ativo, por US$ 2,1 bilhões. Com experiência na recuperação de campos maduros do Mar do Norte, a norueguesa se comprometeu a entrar com mais US$ 550 milhões, para a revitalização do campo, que em dezembro produziu 122 mil barris por dia de petróleo, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP).
A meta da Equinor é aumentar o fator de recuperação do campo em dez pontos percentuais. Ou seja, se inicialmente a expectativa da Petrobras era recuperar 29% do volume original do reservatório, a petroleira norueguesa pretende investir para aumentar esse percentual para 39%.

A Equinor informou que espera começar entre 2023 e 2024 a primeira fase dos poços com recuperação avançada de petróleo (EOR) em Roncador. A EOR constitui na aplicação de tecnologias para aumentar a recuperação de hidrocarbonetos por meio de técnicas como injeções de água e gás, controle de produção de água e incrustações, por exemplo.


O Brasil é um dos três principais mercados da Equinor, junto à Noruega e EUA. A empresa tem planos de produzir entre 300 mil a 500 mil barris ao dia de óleo equivalente (BOE/dia) em 2030 e chegar ao fim da década com um fluxo de caixa líquido de US$ 2,5 bilhões.

Dentro da carteira de projetos da empresa no país, está previsto para este ano o início da terceira fase de produção do campo de Peregrino, na Bacia de Campos. Entre 2023 e 2024, a meta é começar a produzir no campo de Bacalhau (Carcará), no pré-sal da Bacia de Santos. Para 2026, a previsão é começar a produzir a descoberta de gás natural de Pão de Açúcar (BM-C-33), na Bacia de Campos.

Fonte: Valor [em Portos e Navios, 09 fev. 2020]
by vm2

ABIMAQ - Associação Brasileira da Indústria de Maquinas e Equipamentos.
2020 Todos os direitos reservados.

Rua: Rua Santa Luzia, 735 - sala 1201 - Centro - CEP: 20.030-041 - Rio de Janeiro - RJ
Tel: (21) 2262-5566
E-mail: cog@abimaq.org.br